Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Feliz Natal e Bom Ano Novo!

São estes os votos da equipa que deu vida a este blog, que o próximo ano nos traga mais vezes por cá e cada vez mais por melhores motivos que no ano que está a acabar. Um forte abraço a quem nunca deixou de deixar uma palavra ou uma opinião neste blog, são essas pessoas que nos dão força a continuar.

Feliz Natal e Bom Ano Novo!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

"Onde está o Wally?"

Antes de mais escolhi este título em alusão à magnifica banda desenhada do Wally que na infância nos entretia horas e horas na procura do Wally em desenhos com multidões, e por entre qualquer coisa la aparecia o rapazinho de camisola às riscas vermelhas e brancas e óculos redondos. Pois bem uma comparação um pouco benevolente, acho, com o actual momento do Grupo Desportivo do Telhado, onde está a direcção do GDCRT? De facto não só esta questão se prende com o momento que o GDCRT atravessa, uma coisa que me tem intrigado bastante é o estado de degradação e mau uso dado ao material que foi deixado pela anterior direcção. Quando entro vejo um bar que abre de mês a mês, com instalações mal tratadas e material em muito mau estado, ouço barulho num local de música pois o material não permite mais. Sinceramente pensei poder ver a imagem do GDCRT rejuvenescer um pouco, pensei que fosse dado mais valor ao que salta à vista de todos, que os espaços fossem modernizados assim como o material, mas nada disso sucedeu com muita pena minha e suponho que dos demais visitantes. Resta-me esperar por dias melhores, esperar sim porque sinto, ao invés de outras ocasiões, não poder fazer nada que mude radicalmente o que se está a passar. Já ouvi porém dizer, "antes aberto que de portas fechadas", caros amigos arrisco-me a dizer que desta forma não...

Para estar à frente do GDCRT é preciso sentir a história, sentir o empenho e suor que muitos ali deixaram, é preciso viver momentos difíceis e ter a coragem de os ultrapassar. É preciso acima de tudo amar o GDCRT.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

O lagar do Telhado






Abriu hoje o lagar do Telhado para mais uma campanha.

Os Telhadenses são dos poucos felizardos da região que continuam a ter um lagar a laborar na sua terra.
Temos hoje um lagar bastante modernizado, que produz o precioso elixir da juventude. Há que dar os parabéns aos proprietários do lagar, pela coragem que tiveram, em investir neste novo projecto. Como todos sabem, no Telhado sempre existiram muitos lagares, mas ao longo dos anos apenas este se modernizou. Isto deve-se à persistência de homens como o Sr. Armando Ferreira e ao Sr. António Gouveia. A eles temos que agradecer a existência ainda de um lagar no Telhado.

Boa sorte para a campanha deste ano.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Os Frades e as Freiras

Não se trata de um momento religioso, mas sim micológico. Nos meses de Outubro e Novembro é grande a azafama à apanha dos cogumelos. Sendo o rei dos cogumelos no Telhado, o Frade (Macrolepiota procera) e a rainha a Freira (Amanita caesarea).

Mas não são só as freiras e os frades que os Telhadenses recolhem, também as Cepas (Boletus edulis e outros), as Telheiras (lactarius deliciosus), as Febras (Fistulina hepatica), as Carqueijinhas (Ramaria aurea), os Míscaros (Tricholoma equestre) entre muitos outros que agora não me lembro.

A nossa serra do Gomes e os Quinteiros são locais de excelência para estes passeios micológicos. E ao contrário do que acontece em muitas outras aldeias do nosso país, os Telhadenses apesar da grande abundância de cogumelos na nossa terra, não os apanham para vender, mas sim apenas para petiscarem entre amigos, talvez por isso eles ainda apareçam com tanta frequência nos nossos campos.




As Freiras (Amanita caesarea)







As Cepas (Boletus sp.)





Os Frades (Macrolepiota procera)




As Febras (Fistulina hepatica)



segunda-feira, 26 de outubro de 2009


MORREU SANTOS COSTA
Faleceu na madrugada de domingo, na unidade da dor do hospital do Fundão, Santos Costa. O director da escola profissional do Fundão tinha 62 anos e morreu de câncro no cólon. O funeral realiza-se esta segunda-feira às 16 horas em Alpedrinha.
João Manuel dos Santos Costa foi fundador e director da escola profissional do Fundão, nessa qualidade era vice presidente da Anespo – Associação Nacional de Escolas do Ensino Profissional, presidiu ao conselho executivo da escola secundária do Fundão, era vice presidente da Adesgar, foi vereador na câmara municipal, presidente da junta de freguesia de Alpedrinha e membro da assembleia municipal do Fundão............

Rádio Cova da Beira - clicar para visualizar a notícia

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Eleições Autárquicas - Telhado

Aí estão os resultados das eleições autárquicas na Freguesia de Telhado


O povo mostrou que não anda a dormir e reconheceu o trabalho realizado na freguesia nestes últimos quatro anos pelo executivo da câmara municipal do Fundão liderado pelo Dr. Manuel Frexes.
Em relação ás eleições para a junta de freguesia, ainda que só se tenha apresentado um único candidato, o povo foi ás urnas e mostrou que estava contente com quem conduziu os destinos das nossas aldeias nestes quatro anos, dando-lhe 83% dos votos.

Apenas podemos desejar-lhes boa sorte e que continuem a lutar pelos interesses das nossas aldeias, porque ainda há tanto para se fazer. Poderia enumerar algumas delas, mas vamos esperar, vamos dar tempo ao tempo. Nós estaremos cá para os relembrar.





















quinta-feira, 24 de setembro de 2009

O Partido Trabalhista Português no Telhado




Também o Partido Trabalhista Português (PTP), escolheu um Telhadense para encabeçar a lista pelo distrito de Castelo Branco. Trata-se de mais um amigo do Telhado, José Adelino Solipa Lambelho.

Boa sorte também para ti e para a tua equipa.

Os Telhadenses estão em grande nestas eleições legislativas.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Telhadense é cabeça de lista pelo PCTP/MRPP no distrito de Castelo Branco

O nosso conterrâneo Rui Duarte, mais conhecido na nossa terra por Rui Infante é candidato à Assembleia da República. Encabeçando a lista do PCTP/MRPP pelo círculo eleitoral de Castelo Branco.

Funcionário público de 53 anos, natural e residente no Telhado, surge no topo de uma lista onde ainda constam o enfermeiro José Marrucho, a operária têxtil Rosário Baptista e o professor Luís Mendes.

Boa Sorte.


http://castelobrancopctpmrpp.blogspot.com/2009/08/candidatura-do-pctpmrpp-pelo-distrito.html

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Inaugurações no Telhado e no Freixial - 9 de Agosto de 2009

Estas são algumas das fotos que me arranjaram deste dia memorável para a Freguesia do Telhado. Se tiverem outras enviem para carantonhatelhado@gmail.com




A População do Telhado e do Freixial aderiram em massa.



O parque infantil do Telhado, as crianças adoraram.


O nosso primeiro espaço verde.



A jovem equipa da junta de freguesia, Toni, Vânia, e Manuel António. E claro o sr. Presidente da Câmara - Dr. Manuel Frexes.






O povo ouviu atentamente os discursos dos intervenientes e as suas novas propostas.


Assinatura do protocolo, entre a Junta de Freguesia do Telhado, O Tecto-centro social do Telhado e a Câmara Municipal do Fundão.





O quiosque coma esplanada que serviu de palco.


Os discursos.



A satisfação dos intervenientes.

A nossa oleira e a sua oficina.


O povo seguiu a comitiva.


A inauguração da estrada do Casal de Santa Maria.



O Freixial numa recepção exemplar.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Olaria Manique


















Afinal ainda temos oleiros, neste caso oleiras. Foi inaugurada no dia 9 de Agosto a "Olaria Manique".

O Telhado ganhou um espaço onde pode agora usufruir dos belos trabalhos desta oleira, tal como comprar estas bonitas peças.

Que ricas mãos tem esta senhora.

Parabéns Fernanda por teres aproveitado as oportunidades que te foram oferecidas.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Festa do Emigrante - 15 e 16 de Agosto

Nos próximos dias 15 e 16 de Agosto realizar-se-à a primeira festa na freguesia, a Festa do Emigrante, dois dias de convívio e animação. Uma festa que tenciona não só dar as boas vindas aos nossos emigrantes espalhados por esse mundo fora mas também proporcionar a confraternização com as nossas gentes.

No dia 15 haverá um almoço convívio com feijão frade e sardinha assada e mais para a noite o destaque especial vai para o duo musical Rui Marques & Cila.

No dia 16 decorrerá no recinto de festas um jogo de futsal Telhado x Emigrantes e para animar a noite a actuação do grupo musical Trio Renovação.

-> No recinto de festas funcionará um esmerado serviço de bar com os mais variados petiscos.

A comissão de festas não se responsabiliza pelos incidentes ocorridos durante os festejos.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

É uma casa portuguesa concerteza!

Pois bem para fazer jus á música aqui está mais um bom exemplo típico português. Aqui não temos nem mais nem menos do que as obras de remodelação da entrada do telhado, digamos que esta foto foi tirada no dia 16 de Outubro de 2008, se compararmos com uma do presente dia (18 de Junho de 2009), e passados 8 meses (?), conseguimos identificar algumas diferenças, como por exemplo as lombadas dos passeios e algumas tubagens que vêm sido colocadas à pressa devido à aproximação da data de inauguração que, segundo a informação que me foi facultada, será na segunda semana de Julho, ou seja, com mais um mês de obras pela frente será possível concluir estas obras a tempo da inauguração? Ou mais uma vez, como faz o típico português, a obra é inaugurada ainda por concluir? Está à vista de todos o trabalho que ainda há a fazer (não referindo a questão da estrada que continua por acabar e sem fim à vista), os passeios longe de estarem calcetados, a iluminação apenas agora está a ser iniciada, o jardim ainda nem sinal dele, quanto mais as pistas de malha... 4 semanas chegam? quando em 8 meses pouco foi feito? Também é verdade que as obras estiveram paradas muito tempo, e de quem é a culpa? Onde esteve a empresa encarregue de entregar a obra a tempo e horas? Se não conseguia atingir essa meta então não pegava nas coisas, e o que é facto é que tempo teve o suficiente para qualquer um de nós poder já usufruir daquele espaço, mas de entre paragens e recomeços com 'folgas' pelo meio isto está no estado em que todos podemos ver. Mais um atraso, mais remodelações que não estavam inicialmente previstas, mais derrapagens, mais para o bolso dos grandes. É assim que funciona, não vale a pena tentarmos entender. Perante tantos incumprimentos neste país mais um ninguém nota. É assim o nosso lindo país.

Ficamos então esperando e desesperando pela conclusão da obra.

*Mais vale tarde que nunca, mas a paciência não é eterna.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Não há cultura para ninguém!

Esta sessão de teatro estava marcada para o passo sábado pelas 21:30. Sinceramente tive esperança de ver este espétaculo, algo não muito comum na nossa terra, só que infelizmente não foi possível. E porque não foi possível? Ora pois bem, devido ao local de realização. De momento a freguesia não tem as condições nem infra-estruturas necessárias para acolher este evento. Foi apenas discutida uma hipótese, a Igreja Matriz, um local amplo e com condições de receber tanto o staff como os espectadores mas não que foi vetada pelo pároco. Porque motivos? Que actos não cordiais a religião católica se iríam praticar naquele local de culto? Será a casa de Deus apenas isso, um espaço de culto? Desde pequeno que ouço dizer ser a Casa do Senhor, sería contra os ensinamentos do Senhor receber em Sua casa uma reunião de fiéis e que tem por fim promover a união social através de um evento cultural? Será isto que o Senhor pretende de nós? Para além de cada vez mais vermos a população longe da Igreja (começando pelos mais jovens) vamos afasta-los ainda mais e firmar a ideia de um templo reservado apenas ao culto e adoração? A Igreja é a casa de todos nós, ouvi também dizer. Porque pode um pároco reger ditatóricamente um espaço que devería estar aberto a todos? Será este o exemplo que a Igreja Católica pretende dar aos fiéis? Ou será a teimosia e aberração de alguém que se julga dono e senhor de um espaço de união social? Esse senhor que dita as próprias regras na paróquia é o mesmo que quebrou a maioria dar bonitas tradições pascáis que a nossa freguesia ainda há poucos anos tinha, foi o que mudou as tradições religiosas da freguesia, é o que afasta as pessoas da Igreja, é o que não permite a alguns o sacramento da confirmação (Crisma), mas com que fundamentos? Porque proibe as crianças de receber o sacramento da confirmação? Segundo a religião católica a confirmação ou crisma é o quarto sacramento, até lá passamos pelo batismo, confissão (remissão dos pecados) e eucaristia (comunhão), se estas crianças receberam já estes três sacramentos porque não lhes é permitido receber o quarto? A religião que eu aprendi nos muitos anos de catequese não foi esta que este pároco prega, é por isto que o povo se afasta da igreja.


* Como nota pessoal arrisco dizer que para esta vergonha mais vale não haver padre!

terça-feira, 2 de junho de 2009

O teatro no Telhado

A nossa aldeia vai receber a companhia profissional de teatro, "Teatro Azul", no dia 13 de Junho, pelas 21.30 horas. Temos cultura .......finalmente. Depois do circo à algumas semanas atrás, agora, é a vez do teatro.





A falta que nos faz um espaço onde possamos receber este tipo de eventos. Onde se realizará esta peça????

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Dia Mundial da Criança



Declaração dos Direitos das Crianças - 10 direitos


1. O direito à igualdade

1. A criança desfrutará de todos os direitos enunciados nesta Declaração. Estes direitos são reconhecidos a todas as crianças, sem qualquer excepção, sem distinção ou discriminação de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, quer sua quer da sua família.

2. O direito à protecção especial para o seu desenvolvimento físico, material e social.

2. A criança gozará de protecção especial e disporá de oportunidades e serviços, por leis e outros meios, para que possa desenvolver-se física, mental, moral, espiritual e socialmente, de forma sadia e normal, em condições de liberdade e dignidade. As leis devem ter em conta os interesses superiores das crianças.

3. O direito a um nome e a uma nacionalidade.

3. Desde o nascimento, a criança tem direito a um nome e a uma nacionalidade.

4. O direito a uma alimentação, habitação e atenção adequadas para a criança e para a mãe.

4. A criança deve beneficiar de todos os benefícios da segurança social. Tem o direito de crescer e desenvolver-se com saúde; para isso, deverão ser proporcionados cuidados especiais a ela e à mãe, inclusive cuidados pré e pós-natais. A criança tem o direito a uma alimentação, habitação, recreação e cuidados médicos adequados.

5. O direito a educação e cuidados especiais para a criança com alguma incapacidade.

5. A criança incapacitada física ou mentalmente ou que sofra de algum desfavorecimento social deve receber o tratamento, a educação e os cuidados especiais exigidos pela sua condição particular.

6. O direito à compreensão e ao amor dos pais e da sociedade.

6. Para o desenvolvimento completo e harmonioso da sua personalidade, criança necessita de amor e compreensão. Sempre que possível, deverá crescer sob o amparo e responsabilidade dos pais, sempre num ambiente de afecto e de segurança moral e material. Salvo circunstâncias excepcionais, a criança de tenra idade não deverá ser separada da mãe. Aos Governos de cada país caberá a obrigação de propiciar cuidados especiais às crianças sem família ou que careçam de meios adequados de subsistência. É conveniente prestar ajuda oficial às famílias numerosas.

7. O direito a receber educação gratuita e a ter tempo livre.

7. A criança tem direito a receber educação gratuita e obrigatória, pelo menos nas etapas elementares. Ser-lhe-á proporcionada uma educação que favoreça a sua cultura general e lhe permita, em condições de igualdade de oportunidades, desenvolver as suas aptidões, a sua capacidade de emitir opiniões, o seu sentido de responsabilidade moral e social, para se tornar um membro útil da sociedade.

O interesse superior da criança deve ser o princípio orientador de quem tem a responsabilidade da sua educação e orientação, a qual incumbe, em primeiro lugar, aos pais. A criança deve poder desfrutar plenamente de jogos e brincadeiras, visando os propósitos da educação, cabendo aos governos promover o usufruto deste direito.

8. O direito a ser a primeira a receber ajuda em casos de desastre.

8. A criança deve, em todas as circunstâncias, figurar entre os primeiros a receber protecção e socorro.

9. O direito a ser protegida contra o abandono e a exploração do trabalho.

9. A criança deve ser protegida contra qualquer forma de abandono, crueldade e exploração. Não será objecto de nenhum tipo de tráfico. Não será permitido à criança empregar-se antes de uma idade mínima adequada. Em nenhum caso será permitido que se dedique a uma ocupação ou emprego que prejudique a sua saúde ou educação ou que possa impedir o seu desenvolvimento físico, mental ou moral.

10. O direito a formar-se num espírito de solidariedade, compreensão, tolerância, amizade, justiça e paz entre os povos.

10. A criança deve ser protegida contra actos que possam fomentar a discriminação racial, religiosa ou de outra natureza. Deve ser educada num espírito de compreensão, tolerância, amizade entre os povos, paz e fraternidade universal, e com plena consciência de que deve pôr as suas capacidades ao serviço dos seus semelhantes.

Em resumo:

20 de Novembro de 1959

1) Todas as crianças têm direito à igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade.

2) Todas as crianças têm direito a especial protecção para o seu desenvolvimento físico, mental e social.

3) Todas as crianças têm direito a um nome e a uma nacionalidade.

4) Todas as crianças têm direito à alimentação, habitação e assistência médica adequadas.

5) Todas as crianças têm direito à educação e a cuidados especiais para as crianças física ou mentalmente deficientes.

6) Todas as crianças têm direito ao amor e à compreensão por parte dos pais e da sociedade.

7) Todas as crianças têm direito a ter educação gratuita e tempo livre (lazer).

8) Todas as crianças têm direito a ser socorridas em primeiro lugar, em caso de acidentes, catástrofes...

9) Todas as crianças têm direito a ser protegidas contra o abandono e a exploração no trabalho.

10) Todas as crianças têm direito a crescer dentro de um espírito de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos.

terça-feira, 26 de maio de 2009

O Telhado no Google

Hoje decidi por mãos no teclado e pesquisar "telhado fundão" no Google, pois bem surgiram inúmeros resultados, desde imóveis para venda até mapas da região. De todos os resultados alguns destacavam-se pelo assunto repetitivo, sem dúvida a maioria das páginas web encontradas nesta pesquisa fazem sobressair um nome: Albano Martins! Para além deste grandioso poeta encontrei algumas páginas interessantes que vou passar a enumerar aqui:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Telhado_(Fundão) - Página da conhecida Wikipedia, fiquei especialmente surpreendido com a quantidade de informação e imagens acerca da nossa aldeia. Desde contactos da Junta de Freguesia à história e cultura e até dando um destaque ao poeta Albano Martins, é muita a informação que lá se encontra.

http://www.mapav.com/castelo_branco/fundao/telhado/ - Página com o estado do tempo num intervalo de 5 dias, muito útil.

http://www.flickr.com/photos/56541100@N00/sets/72157604861526949/ - Galeria fotográfica de aves do Sr. Joaquim Antunes, contém fotos de aves tiradas no Telhado.

http://pt.trekearth.com/gallery/photo170246.htm - Os telhados da nossa aldeia numa galeria de fotos.

http://www.portugalio.com/castelo_branco/fundao/telhado/telhado/ - (Também no google maps) O mapa da nossa região, com imagens de satélite, nomes de ruas, estradas, etc.

http://affundao.nice-theme.com/aplicacoes-f46/brazao-e-bandeira-t53.htm - Fórum de fotografia onde encontrei a bandeira e o brasão do Telhado.

http://www.lifecooler.com/portugal/patrimonio/NossaSenhoradaRosa@3 - Embora com pouca informação tem o registo da maior festa da aldeia, a Nossa Senhora da Rosa.

http://toponimialusitana.blogspot.com/2006/05/uma-invaso-de-formigas.html - Blog que contem um post interessante sobre a invasão de formigas, refere alguns termos relacionados e povoações que sofreram com estas pragas, faz referência ao Vale da Carantonha de onde se mudou a população para o actual Telhado.

http://www.scribd.com/doc/15748763/Trabalho-Sobre-o-TelhadoBeira-Baixa - Por fim um trabalho bastante interessante e divulgado aqui no blog pelo senhor Joaquim Ângelo, trata-se de um trabalho académico sobre o Telhado/Freixial. Ainda tive pouco tempo para o ler por completo mas parece-me bastante interessante.

Muito mais se poderá encontrar, isto é apenas uma amostra que com pouco esforço conseguimos informações e coisas interessantes acerca da nossa aldeia. Em vez de por vezes perdermos tempo com coisas desnecessárias porque não interessarmo-nos um pouco mais pelas nossas origens, pela cultura dos nossos antepassados e até mesmo por informações que por vezes desconhecemos acerca da nossa terra.

O saber não ocupa lugar.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Reportagem de Maio do Reporter Pentiadinho da Silva no "O Telhadense"

Ó mês de Maio das flores
De cores celestiais
Fugiste sem dar resposta
Para nós sofremos mais.

Tu que és o mês do calor
E não dás pontos em vão
Manda-nos lá essa prenda
Para o mês de S. João.

Ó meu Santo milagroso
Pede ao S. Pedro uma ajuda
Com vossas preces juntas
Pode ser que Deus nos acuda.

Cá na terra a coisa anda
Um pouco embaraçada
Vós os dois com paciência
Descobri o fio à meada.

Nós confiamos em vós
E a coisa vai dar boa
Todos juntos pediremos
A Santo António de Lisboa.

Desculpai as nossas preces
Mas neste mês de amargura
Tão depressa é de manhã
Como logo é noite escura.

Vamos passar adiante
E pondo o assunto de lado
Descrevendo alguma coisa
Da nossa terra o Telhado.

A liga dos Telhadenses
Ainda é jovem e fresquinha
Vai deslocar-se a Lisboa
Fazer sua festinha.

Sai daqui no dia nove
Esperamos um dia de sol
Para no dia dez
Jogar um jogo de futebol.

É um bairro de Benfica
Um bairro bem animado
Com a Academia de Grandela
Que o jogo é disputado.

Logo a seguir haverá
Aquele convívio ardente
Entre Telhadenses amigos
E ainda muito mais gente.

Só assim todos unidos
Alguma coisa se fará
Se a coisa assim não for
Nossa terra morrerá.



José Daniel, no "O Telhadense" - Maio de 1977

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Atropelamento de GNR

video

Encontrei isto pela internet, no histórico de notícias da SIC, ora pois bem aqui está o Telhado na TV pelas piores razões, por acaso dias antes tinha também estado mas devido aos assaltos ocorridos numa só noite. Esperemos não voltar à TV por motivos como estes.

Participação e Partilha

Todos os Telhadenses que queiram participar ou partilhar alguma informação interessante neste blog enviem-nos mensagem para o nosso mail (carantonhatelhado@gmail.com). De forma a tornar este blog mais rico de informação.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Casal de Santa Maria ou Cabeço



Capela da Nossa Senhora do Mosteiro.


Horácio Pereira, um dos últimos habitantes do Casal de Santa Maria





O Casal de Santa Maria dista cerca de 2 Km da aldeia do Telhado e à qual pertence. Está situado num cabeço do qual se desfruta uma vasta e linda paisagem de toda a Cova da Beira.
É um pequeno aglomerado de casas muito velhas, antigas e semi-abandonadas. Nele habitam apenas 2 pessoas, antes moraram aqui cerca de 80 pessoas.

Aqui existiu, outrora, uma casa de repouso de frades Dominicanos, do qual não resta pedra sobre pedra. Mas algumas destas serviram para a construção de casas mais recentes. Tal como em Santa Maria da Carantonha, ficou uma ermida para contar o passado. Foi construída sobre uma estação romana e, em parte, com pedra de reaproveitamento dum antigo edifício romano, "Mosteiro". Junto à capela, com facilidade, encontramos "terra sigilata".
Não seria difícil calcularmos que os frades se teriam estabelecido aqui, porventura na primeira metade do séc. XVI. Tendo S. Domingos de Gusmão fundado a sua Ordem em 1217, nesse mesmo ano, entraram em Portugal com Soeiro Gomes, português, companheiro do Fundador. Aqui fundaram vários mosteiros, entre eles o de Abrantes em 1472 e o de Pedrogão em 1478.
A testar a sua autenticidade dominicana estão sete maravilhosas pinturas originais sobre o Altar-Mor,entre os quais se identificam a de "S. Domingo", a de "S. Iacinto" e a da "Senhora do Mosteiro" ao centro.
Ora S. Jacinto foi Dominicano polaco. Em 1221 foi um dos dois frades designados pelo fundador para estabelecer a sua ordem na Polónia. Logo após a sua morte, adquiriu fama de taumaturgo, tendo sido canonizado a 17/04/1594.
Esse quadro, sobre a madeira, como todos os outros, só deveria ter sido pintado após a canonização, pelo que estas pinturas teriam sido efectuadas depois daquela data e, naturalmente, para comemorar o acontecimento, bem como homenagear e perpetuar a memória de um santo da família.
A província dominicana e os conventos, tal como as outras ordens, extinguiram-se em Portugal em 28 de Maio de 1834 com um decreto-lei proposto pelo ministro Joaquim António Aguiar, de abolir todos os mosteiros masculinos e dispensar a sua população, aceite pelo regente D. Pedro. Esta lei foi uma perda incalculável em objectos de arte, livros e manuscritos, em consequência do vandalismo destruidor e do saque que, em certas casas, acompanhou a extinção. Também o mosteiro do Casal de Santa Maria não lhes escapou.

As nossas velhotas dos Cantares de Santo André

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Gastronomia do Telhado e arredores

Torradas ou fritas

Ingredientes:

Pão grande (de mistura), azeite (acabado de sair da bica) e açúcar.

Preparação:

Parte-se o pão em fatias bem finas, e fritam-se numa frigideira, em azeite bem quente, de um lado e do outro. Polvilham-se com açúcar.


Receita do Caldudo

Ingredientes:

Castanhas, água, azeite e sal.

Preparação:

Das castanhas secas, no caniço, são lhes tiradas a casca. São introduzidas numa panela de ferro, com água, sal e um pouco de azeite. Leva-se ao lume, da lareira e deixa-se cozer bem as castanhas. Parte destas são esmagadas com um garfo, para tomar a água um pouco mais espessa. Depois é só servir o caldudo em tigelas de barro.

A caldeirada de borrego

Ingredientes:

7 a 9kg de carne de borrego partida em pedaços, batatas, cebola, pimentos, tomates, cenoura, serpão, salsa, sal, azeite e picante a gosto .

Preparação:

Corta-se às rodelas as batatas, cebolas, pimentos, tomates e a cenoura. Põe-se numa panela grande, camadas de batatas, cebola, pimentos, tomates e cenoura, entre estes ingredientes põe-se sempre uma camada de carne de borrego, em cima põe-se o serpão, a salsa, o sal e o picante. Tapa-se a panela e leva-se a lume brando, deixando-se cozer (o tempo de cozedura é cerca de 3 a 4 horas). A tampa da panela deve ser lacrada, não se podendo abrir durante a cozedura nem se podem mexer nos ingredientes. Durante a cozedura, e só a partir dos primeiros 45 minutos, pega-se nas asas da panela e roda-se a panela, de forma que a caldeirada rode no interior para não agarrar. Passado o tempo de cozedura é só servir.

Ensopado de carne de rês (cabra / ovelha)

Ingredientes:

Carne de cabra/ovelha, vinho branco, pimentão, pimenta, alho, azeite, cebola e sal.

Preparação:

Deita-se numa panela a carne previamente partida em pedaços, juntando vinho branco, pimentão, pimenta, alho e sal deixando-a de um dia para o outro em vinha de alho. No dia seguinte junta-se a cebola, azeite e salsa e leva-se ao lume a cozer. Depois de cozida está pronto a servir.




São apenas alguns dos pratos que conheço da gastronomia do Telhado. Agradecia, se conhecessem mais alguns, que enviassem para o mail do blog (carantonhatelhado@gmail.com), para que todos tivéssemos conhecimento.



quinta-feira, 14 de maio de 2009

Jogos tradicionais da minha aldeia

Estes jogos realizavam-se geralmente na época dos santos populares, na segunda-feira da festa da Senhora da Rosa e também na quaresma. Alguns deles revelam bem a sua relação com a olaria.

Corrida dos Cântaros - Forma-se um grupo de mulheres, cada qual com o seu cântaro cheio sobre uma "rodilha" que se coloca na cabeça. Põem-se em fila e é dada a hora da partida. Durante o percurso não se pode tocar no cântaro com as mãos, se o fizerem serão imediatamente eliminadas. Ganha a que chegar em primeiro lugar à meta, com o cântaro cheio de água ou quase cheio.

Jogo do Carrabaço - Com uma cântara de barro, as mulheres ou homens punham-se em fila e deslocando-se iam atirando para trás a mencionada cântara sem olharem para trás. Aquela que a não a "apulasse" perdia e teria de pagar uma cântara.

A corrida de Burro - Colocavam-se cântaras cheias de água, suspensas em cordas a uma determinada altura. Duas pessoas, cada uma montada em seu burro, munidas de um pau, iniciavam a corrida tendo no percurso de partir as cântaras. Ganhava quem primeiro cumprisse e chegasse à meta.

Jogo do "Belho" - Consistia no derrube do "Belho", pequeno pau arredondado na ponta e raso na base com moedas antigas chamadas "vintém". Quem atingisse mais rápido vinte pontos ganhava o jogo.

Jogo da Bilharda - Era um jogo praticado pelos rapazes, com um pau aguçado nas duas extremidades, e que faziam saltar com uma pancada desferida com outro pau mais comprido, atirando aquele mais pequeno para longe. Aquele que falhava tinha que levar o colega ás costas até ao circulo onde iniciava o jogo.

Associação Terras do Barro

A Associação Terras do Barro, teve mais uma vez representada numa prova da Associação de Atletismo de Castelo Branco, desta feita, na 1ª Taça de Lançamentos da Associação de Atletismo de Castelo Branco, que decorreu no passado dia 4 de Abril.

A nossa associação acabou por alcançar o 1º lugar na classificação colectiva. Feito que é de louvar numa associação que acabou de ser criada.

Parabéns à Associação Terras do Barro.

Já agora, se possível, enviem-nos informação sobre as vossas actividades, para que as possamos divulgar aqui no blog.

carantonhatelhado@gmail.com

quarta-feira, 13 de maio de 2009

2º Convívio Motociclos 50cc - GDCRT



Aqui, e em primeira mão, mais um evento organizado pelo GDCRT. Dia 11 de Julho irá realizar-se o 2º Convívio de Motociclos até 50cc, desconheço pormenores mas é bom ver actividade, embora que menos do que qualquer telhadense desejaría, o que mais importa é que o GDCRT está vivo. O Telhado precisa de movimento, de actividade, há que reconhecer sem dúvida o trabalho também das outras associassões da terra, mas é preciso mais união e vontade de trabalharmos em prol de um objectivo em comum, o bem do Telhado e da sua população.

As mulheres dos oleiros

Esta era uma canção que cantavam as mulheres dos oleiros quando iam buscar a lenha à serra.



A lenha já está cortada
Lá no cabeço do gomes
Descendo pelo provile
Vindo pelos cambões
Ai, ai, ai, ai, vamos à lenha
Para cozer a loiça
Ai, ai, ai, ai, cantando e dançando
É uma linda moça.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Fontes ou monumentos

Quando coloquei as belas imagens dos fontanários do Telhado, surgiu-me na mente uma frase do dita pelo actual presidente da junta em plena campanha eleitoral, "as fontes do Telhado estão mortas, temos que lhes dar vida". Será que o senhor presidente da junta já encontrou o elixir da vida eterna, ou desistiu de o procurar.

Senhor presidente não desista de procurar, pois os nossos fontanários precisam de vida e os Telhadenses precisam de água.

Cantares à Senhora da Rosa ou Senhora da Carantonha

No dia de romaria em honra de Nossa Senhora da Rosa, antes Nossa Senhora da Carantonha, que se realiza todos os anos no primeiro Domingo de Setembro, os telhadenses constumam mostrar a sua devoção entoando os seguintes cânticos:


Licenciamento de poços, furos, charcas, minas, etc.

INFORMAÇÃO:

De acordo com o Decreto-Lei n° 226A12007, de 31 de Maio, todos os proprietários e arrendatários de utilizações dos recursos hídricos, que à data da entrada deste decreto-lei não disponham de título que permita essa utilização, têm que pedir as devidas autorizações / licenças / concessões de utilização, junto das autoridades competentes.
O pedido de autorizações/licenças/concessões é obrigatório para todos os proprietários de terrenos em que haja qualquer tipo de utilização dos recursos hídricos, existentes e que não esteja legalizada, sejam elas poços, noras, furos, minas, charcas, barragens e ou açudes, quer se destine para consumo humano, rega ou actividade industrial.
Para o caso de poços ou furos, executados antes da entrada em vigor da referida legislação, o Art° 89° do mesmo diploma prevê a sua regularização no prazo de 2 anos, isto é, até dia 31 de Maio de 2009, tendo sido prorrogada por mais um ano, na reunião do Conselho de Ministros de 7/5/2009.
A legislação citada prevê o regime sobre as utilizações dos recursos hídricos, devendo os pedidos de emissão de títulos de utilização dos recursos hídricos ser instruídos conforme o regulamentado na Portaria n.° 145012007, de 12 de Novembro.
A Regularização deve ser requerida mediante requerimento com o tipo e as características da captação, sua localização, características da exploração e o relatório final.
A inexistência deste, deverá ser substituída pela entrega de um relatório de peritagem técnica da captação, efectuada por um técnico com formação na área da hidrogeologia. Após apreciação, será emitido o respectivo titulo de acordo com a legislação (Licença ou Autorização).
Se o requerimento for apresentado até 31 de Maio de 2010, os utilizadores ficam isentos da aplicação da coima.
Só através de declaração, os serviços da Administração da Região Hidrográfica do Tejo, I.P. (ARH Tejo) poderão atribuir as concessões, licenças e autorizações necessárias para cada tipo de utilização.
Caso seja detectada qualquer utilização não declarada após 31 de Maio, o seu proprietário incorre numa contra- ordenação muito grave, cuja coima mínima, para particulares, pode ir de 25 mil a 37.500 euros. No caso de pessoas colectivas, a coima pode ir de 60 mil a 2,5 milhões de euros.

Para evitar as contra-ordenações e as coimas previstas na Lei, os utilizadores deverão fazer o pedido de titulo com a máxima urgência. Se necessitar de apoio na instrução do referido pedido, contacte a Junta de Freguesia do Telhado para o apoiar.

Telefone:275776886
Fax:275776886
Mail: jf.telhado@sapo.pt